Mobilização nacional em defesa da Justiça do Trabalho e dos direitos sociais

O "Ato Nacional em Defesa da Justiça do Trabalho e dos Direitos Sociais" contou com a participação da AMATRA IV. A atividade ocorreu na tarde desta quarta-feira, 5/2, na Câmara dos Deputados, em Brasília. A mobilização lotou o Auditório Nereu Ramos.

Para a presidente da AMATRA IV, juíza Carolina Gralha -  que esteve na atividade acompanhada por uma delegação de juízes da 4ª Região - a iniciativa é um exemplar alerta à sociedade brasileira. "O discurso de extinção da justiça trabalhista é retrógrado e se ampara em fake news, como a de que ela só existe no Brasil, quando outros países como a Alemanha, Noruega e Nova Zelândia contam com esse ramo do Judiciário", explica.

"Novamente estamos assinalando que os brasileiros sairão fortemente prejudicados com sua extinção e que ela existe para ser favorável a todos que cumprem a lei. Num país de grandes desigualdades sociais como o nosso, de descumprimento contínuo das obrigações mais básicas nas relações de trabalho, no qual ainda nos deparamos com casos envolvendo as chagas do trabalho escravo e do trabalho infantil, é incrível que haja a coragem de propor a extinção da Justiça do Trabalho", critica a dirigente.

No término do ato público - que foi organizado pela Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), em parceria com a Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), a Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e do Ministério Público da União (Fenajufe), a Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas (ABRAT) e o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), houve a aprovação da "Carta de Brasília", que será encaminhada aos parlamentares da Câmara e do Senado.

Confira a íntegra deste documento abaixo.

 

Fotos: Divulgação e Câmara dos Deputados (Cleia Viana)

 

Facebook

Rua Rafael Saadi, 127 | Bairro Menino Deus | Porto Alegre, RS | CEP: | Tel/Fax: (51) 3231-5759