AMATRA presente no ato público em defesa da Justiça do Trabalho

  

"A Justiça do Trabalho é patrimônio constitucional da sociedade", assinalou a presidente da Associação, Carolina Gralha

A AMATRA IV esteve presente no ato público em defesa da Justiça do Trabalho e dos direitos sociais realizado nesta segunda-feira (21/1), em Porto Alegre. Destacar o seu fundamental papel e a importância da existência da Justiça do Trabalho para a garantia dos direitos sociais e da cidadania foi o objetivo da atividade. O evento, organizado em frente ao Foro Trabalhista da capital gaúcha, reuniu operadores do Direito (magistrados, advogados, procuradores, peritos e servidores, entre outros), representantes de centrais sindicais e cidadãos em geral.


"A Justiça do Trabalho é de todos os brasileiros"
Ao falar aos presentes, a presidente da AMATRA IV, Carolina Gralha, assinalou que a Justiça do Trabalho é patrimônio constitucional da sociedade. "Ela não tem partido, não tem ideologia, não tem lado. Ela é de todos os brasileiros". A juíza esclareceu ainda que a Justiça do Trabalho também existe em outros países, que ela não concentra a maior parte das ações trabalhistas do mundo e, tampouco, custa caro demais. "É nesta casa que se resolvem greves, demissões, questões ligadas às mazelas brasileiras que são o trabalho infantil e o trabalho escravo, e todas as questões dos trabalhadores e empregadores. A Justiça do Trabalho não é ‘cara demais’. Não está aqui para lucro”, disse a presidente da Associação.  Em 2017, a Justiça Trabalhista arrecadou R$ 3,5 bilhões entre Imposto de Renda, INSS e outros, totalizando 18,2% da despesa orçamentária. "Também foram pagos R$ 27 bilhões aos reclamantes, valores que retornam para a economia", enumerou. "Infelizmente, mesmo diante de tudo isso, ela parece ser a vilã da vez”, criticou a magistrada. Em sua exposição, Carolina Gralha ainda pontuou que desemprego se combate com investimento e desoneração da folha e não com o fim da Justiça do Trabalho.
No término das manifestações, os participantes deram um abraço simbólico no prédio do Foro Trabalhista de Porto Alegre. O ato também contou com a presença da presidente do Tribunal Regional do Trabalho da IV Região, desembargadora Vania Mattos, e de dirigentes de diversas entidades: Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Associação dos Juízes Federais do RS (Ajufergs), Associação dos Juízes do RS (Ajuris), Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal e do Ministério Público da União no Rio Grande do Sul (Sintrajufe-RS), Associação Gaúcha dos Advogados Trabalhistas (Agetra), Fundação Escola da Magistratura do Trabalho/RS (Femargs), Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), Associação dos Peritos na Justiça do Trabalho (Apejust), Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas (ABRAT), Ministério Público do Trabalho da 4ª Região (MPT-RS), Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Associação Juízes para a Democracia (AJD), Associação dos Oficiais de Justiça Avaliadores Federais no Rio Grande do Sul, Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora (Intersindical), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), e Central Sindical e Popular Conlutas.

(Com informações e fotos do TRT-RS e Sinpro/RS)

Facebook

Rua Rafael Saadi, 127 | Bairro Menino Deus | Porto Alegre, RS | CEP: | Tel/Fax: (51) 3231-5759